domingo, 18 de março de 2007

Hoje vi uma reportagem na televisão sobre as borboletas... Disseram que borboleta é todo o conjunto da vida do inseto, desde a larva (aquela lagarta que povoava meus piores pesadelos da infância) até restar belíssima e esvoaçante. Nós chamamos de borboleta o que na verdade é o estágio final de todo um processo, mas a borboleta é, desde a larva.
Então, posso crer que esse processo de estar contida, meio larva, meio sei-lá-o-que, no bardo, como diria a Vanessa, já me faz borboleta. Ela já está contida em mim, já é, como diriam meus alunos.
Resta saber porque não me sinto como tal, porque não posso simplesmente esperar que surjam as asas e os vôos de liberdade e felicidade. Será que a larva já se sente borboleta, ou será que ela também se surpreenderá quando surgirem as cores, a beleza, a possibilidade de vôo?
A borboleta é símbolo de transformação, mas e a crisálida? O que simboliza? O luto, a dor, a indefinição? Ou a possibilidade de transformação, de crescimento? E antes da crisálida? Quem eu era? A larva? Arrastando-me e soltando espinhos e venenos?
E em que espécie de borboleta me transformarei? Com que cores, que atributos?
Penso que a crisálida representa esse estágio de dúvidas, de recolhimento.
Por enquanto, é um lugar aconchegante pra mim. Por enquanto, a borboleta me assusta. Mas ela já é... então, não há como fugir. Aguardo.

Um comentário:

Bugra disse...

Ñão pense .. apenas seja... bjo na palma da mão!

p.s saudade docê..rss